Após terremoto, China enfrenta enchentes e deslizamentos

Enchentes provocadas por chuvastorrenciais mataram dezenas de pessoas em várias partes daChina, país cujas autoridades lutam para transferir milhares devítimas do terremoto do mês passado a fim de protegê-las doperigo de deslizamentos de terra provocados pelas águas. Ainda tentando se recuperar do abalo sísmico de 12 de maioocorrido na Província de Sichuan (sudoeste) e que matou mais de70 mil pessoas, a China viu sua região sul ser atingida porenchentes que mataram ao menos 57 pessoas nos últimos dias eobrigaram 1,27 milhão a buscarem áreas mais seguras, disse oMinistério dos Assuntos Civis. As enchentes mostraram-se especialmente violentas naProvíncia de Guangdong (sul), sede de muitas das empresasexportadoras do país. Até o domingo, 20 moradores de Guangdong haviam morrido nascheias, oito estavam desaparecidos e mais de 4.800 casas tinhamdesmoronado, afirmaram à agência de notícias Xinhua autoridadesda região. Quase 240 mil habitantes de Guangdong abandonaram suascasas, entre os quais 60 mil da cidade de Shenzen, um centrocomercial localizado perto de Hong Kong, disse uma autoridadedo setor de águas da Província, segundo o jornal oficialSouthern Daily. Imagens de TV mostraram o segundo andar de prédios sendoinvadido pelas águas, ruas transformadas em canais e soldados abordo de barcos resgatando pessoas isoladas. "Muitas fábricas ficaram inundadas desde o início daschuvas fortes, na quinta-feira", afirmou Feng Fei, funcionáriode um escritório de Dongguan, um centro manufatureirolocalizado ao norte de Shenzen. "Minha empresa não é muito grande, mas nós provavelmenteteremos de pagar até 10 milhões de yuans (1,45 milhão dedólares) por cerca de 200 veículos danificados pelasenchentes", disse Feng à Reuters, por telefone. Autoridades calculam que os danos deixados pelas chuvas emGuangdong podem somar 3,8 bilhões de yuans (540 milhões dedólares). Grande parte desses danos ocorreu em áreas deplantação e no setor de pesca. As chuvas também castigaram o noroeste da China, matandodois moradores de Longnan, uma região da Província de Gansu,onde centenas de pessoas morreram no terremoto do mês passado. As enchentes atingiram também a Província de Jiangxi e aRegião Autônoma de Guangxi, uma importante área açucareira quefica próxima de Guangdong. Segundo analistas, o impacto das cheias nos setoresindustrial e agrícola da China seria limitado. "A China enfrenta enchentes todos os anos. As secasrepresentam um problema muito mais grave porque atingem acadeia de alimentos e o preço desses produtos", disse Ting Lu,economista da Merrill Lynch em Hong Kong especializado naChina. (Reportagem de Chris Buckley)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.