Após terremoto, eleições no Japão podem ser adiadas

Assembleias, prefeituras e governos teriam representantes escolhidos em abril

Agência Estado

11 de março de 2011 | 14h07

TÓQUIO - Várias eleições locais marcadas para abril podem ser adiadas no Japão por causa do violento terremoto que atingiu o nordeste do país, disse o ministro de Interior, Yoshihiro Katayama, segundo a edição matutina de sábado (horário local) do jornal Nikkei.

 

Veja também:

blog Tempo real: Acompanhe a tragédia no Twitter e no Radar Global

especial Infográfico: Entenda o terremoto no Japão

documento Relatos: envie textos, vídeos e fotos para portal@grupoestado.com.br

som Território Eldorado: Ouça relato do embaixador e de brasileiros no Japão

mais imagens Galeria de fotos: Tremor e tsunami causam destruição

 

A primeira série de eleições locais no país está marcada para 10 de abril. Essas eleições incluem disputas para governadores e para Assembleias, bem como para cargos de prefeitos e vereadores em importantes cidades.

 

A segunda série de eleições locais, marcada para 24 de abril, envolve candidatos para prefeitos em cidades menores e chefes e membros de conselhos para os 23 distritos de Tóquio. Também está marcada para esta data uma eleição de segundo turno para a Câmara dos Deputados no 6º distrito, em Aichi.

 

A remarcação das datas da eleição está sob avaliação, levando em conta a severidade dos estragos em cada área. Nesse momento, porém, não se pode saber de quanto pode ser esse atraso. "Nós tomaremos as decisões após monitorar os estragos e reunir informações sobre situações locais", disse o ministro. As informações são da Dow Jones.

 

Leia ainda:

linkTerremoto é o sétimo mais intenso da história

linkComunidade internacional oferece ao ajuda

link'A situação aqui é triste', diz jogador brasileiro linkGoverno não tem registro de brasileiros feridos

linkAlerta de tsunami se estende até a América do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.