Após terremoto, ilha grega declara estado de emergência

Escolas foram fechadas depois de autoridades locais terem declarado estado de emergência na ilha grega de Cefalônia nesta segunda-feira, um dia depois de um terremoto ter destruído casas e ferido ao menos sete pessoas.

AE, Agência Estado

27 de janeiro de 2014 | 13h41

O terremoto de magnitude 5,8 ocorreu nas proximidades da cidade de Lixouri. O abalo foi seguido por dezenas de outros tremores, alguns dos quais atingiram magnitude 5,2, segundo o Instituto Ateniense de Geodinâmica.

Autoridades locais disseram que duas balsas estavam a caminho de Cefalônia para fornecer ajuda aos moradores cujas casas foram danificadas.

Sismólogos disseram que era muito cedo para dizer se o tremor de domingo, listado pelo Serviço Geológico dos Estados Unidos como sendo de magnitude 6,1, foi o terremoto principal ou se outro mais forte pode atingir a ilha nos próximos dias.

"Precisamos de 48 horas para dizer, com 99% de certeza, de que este foi o terremoto principal", afirmou o diretor de pesquisa do Instituto de Geodinâmica de Atenas, Thanassis Ganas. Ele acrescentou, no entanto, que as consequências do tremor de domingo pareciam se desenvolver suavemente, e que as várias réplicas foram normais e esperadas.

Em 1953, a Cefalônia e as ilhas vizinhas Zaquintos e Ítaca foram devastadas por um grande terremoto de magnitude 7,2, três dias após um tremor de magnitude 6,4. O tremor destruiu quase todas as construções das ilhas, matou centenas de pessoas e feriu milhares. Após o incidente, as edificações construídas na região têm de atender a rigorosos critérios antissísmicos.

Terremotos são comuns em toda a Grécia, mas a maioria é fraca e não deixa vítimas nem causa danos. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Gréciaterremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.