Massimo Percossi/ANSA via AP
Massimo Percossi/ANSA via AP

Após terremoto na Itália, cerca de 1,2 mil pessoas passam a noite em tendas e abrigos

Autoridades providenciaram 3,4 mil camas para os desabrigados em diversas instalações localizadas próximas às áreas mais afetadas

O Estado de S.Paulo

25 Agosto 2016 | 09h47

ROMA - Um total de 1,2 mil pessoas passaram a noite em tendas e abrigos disponibilizados pelas autoridades após o terremoto de 6,2 graus de magnitude atingir a região central da Itália, informou nesta quinta-feira, 25, a Defesa Civil.

Autoridades providenciaram para os desabrigados um total de 3,4 mil camas em diversas instalações, segundo explicou a chefe de emergências da Defesa Civil, Immacolata Postiglione.

Muitos desabrigados preferiram se refugiar em casas de parentes, mas muitas famílias passaram a noite em seus carros por medo de novos tremores e por não querer se afastar de seus povos, explicou Immacolata.

A Defesa Civil confirmou até agora 247 mortes e afirmou que o número pode aumentar, pois ainda há dezenas de desaparecidos. No último balanço divulgado, o órgão detalhou que havia 190 mortos nas localidades afetadas na Província de Rieti e 57 na Província de Ascoli.

Autoridades informaram também que há 368 feridos internados em diferentes hospitais, e que um número indeterminado de pessoas feridas foram atendidas em hospitais de campanha instalados nas zonas afetadas.

Immacolata afirmou que os trabalhos de busca nas localidades mais afetadas - Arquata del Tronto e Pescada del Tronto, na Província de Ascoli, e Amatrice e Accumoli, na Província de Rieti - continuaram durante toda a noite e seguirão até que não se consiga localizar mais pessoas. / EFE

 

Mais conteúdo sobre:
Itália Terremoto Matteo Renzi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.