Após tremor de 6,4 graus no centro do Chile; governo pede calma à população

Marinha descarta possibilidade de tsunami atingir o litoral do país

Efe,

17 de abril de 2012 | 02h09

Texto atualizado às 3h45

 

 

 

SANTIAGO - Um tremor de 6,4 graus de magnitude na escala Richter, segundo dados do Instituto Sismológico Nacional, sacudiu, no início da madrugada desta terça-feira, 17, a região central do Chile. Até o momento não há informações confirmadas sobre danos materiais ou pessoas feridas. O governo pediu calma à população.

 

 

 

O subsecretário do Interior, Rodrigo Ubilla, disse aos jornalistas que, conforme o protocolo do Escritório Nacional de Emergência (Onemi), foi ordenada a evacuação preventiva no litoral chileno após o sismo, que alcançou 7 graus de intensidade na escala internacional de Mercalli (de 1 a 12). Ubilla precisou que está adquirindo "informações de campo" para determinar por mais quanto tempo manterá o alerta preventivo.

 

 

 

Na localidade de Quilpué, cerca de 80 quilômetros ao noroeste de Santiago, morreu um homem de 72 anos, mas aparentemente após uma parada cardíaca. O terremoto, que aconteceu à 0h50 e fez com que o Escritório Nacional de Emergência (Onemi) decretasse retirada preventiva da população desde a localidade litorânea de Tongoy, na região de Coquimbo, até a de Constitución, na de El Maule, em uma faixa litorânea de 800 quilômetros.

 

 

 

Apesar disso, o Serviço Hidrográfico e Oceanográfico da Marinha do Chile (SHOA) já descartou a possibilidade de um tsunami atingir o litoral do país. O epicentro do sismo, que durou aproximadamente um minuto, foi detectado 56 quilômetros ao oeste da localidade da Ligua, na região central de Valparaíso. Segundo a Onemi, o tremor foi percebido em uma ampla zona do território, desde a região de Atacama, no norte, até a de Bío-Bío, 1.500 quilômetros ao sul.

 

 

 

Em Santiago, muitas pessoas abandonaram os edifícios e saíram às ruas, e em alguns imóveis o serviço elétrico ficou interrompido. Segundo o Onemi, o tremor afetou 68 cidades e localidades chilenas, com uma intensidade que oscilou entre 2 e 7 graus Mercalli. A passagem alfandegária Los Libertadores, que liga a cidade chilena de Los Andes a Mendoza, na Argentina, se encontra parcialmente fechada devido ao mal estado das estradas.

 

 

 

Além disso, cerca de 20 mil pessoas estão sem energia em algumas cidades próximas à capital chilena. A intensidade do sismo na Região Metropolitana de Santiago oscilou entre 4 e 6 graus na escala Mercalli, enquanto o porto de San Antonio, situado 108 quilômetros ao sudoeste da capital, paralisou suas atividades. Já o aeroporto internacional de Santiago, que ficou bastante danificado no terremoto de 27 de fevereiro de 2010, suportou bem o sismo desta madrugada e opera com normalidade.

Tudo o que sabemos sobre:
TerremotoChiletragédiaabalo sísmico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.