Após três dias no cargo, ministro de Assuntos Financeiros do Japão renuncia

Shizuka Kamei entrou em desacordo com novo governo sobre privatização de empresa de correios

Efe,

10 de junho de 2010 | 23h04

TÓQUIO- O ministro de Assuntos Financeiros e da Previdência do Japão, Shizuka Kamei, decidiu nesta sexta-feira, 11 (horário local), renunciar ao cargo, para o qual foi nomeado há apenas três dias, por desacordos com o novo governo de Naoto Kan sobre a reforma dos serviços postais do país.

 

No entanto, Kamei manterá a pequena legenda que preside, o Novo Partido do Povo, dentro da coalizão de governo junto com o Partido Democrático (PD), que também perdeu recentemente o apoio do minoritário Partido Social Democrata.

 

Em entrevista coletiva na sede do partido, Kamei disse se sentir "muito decepcionado" por perder o apoio de Kan a sua pretensão de conter a privatização do conglomerado de serviços de correio Japan Post, iniciada por Junichiro Koizumi, primeiro-ministro entre 2001 e 2006.

 

"Foi quebrada uma promessa entre os dois partidos. Portanto, decido deixar o Gabinete e aceitar minha responsabilidade, como líder do meu partido, por ter falhado em implementar (a reforma do Japan Post)", disse Kamei.

 

Kamei contava com o apoio do primeiro-ministro anterior, Yukio Hatoyama, que renunciou em 2 de junho, para apresentar no Parlamento uma lei que frearia a privatização do Japan Post, considerado o maior conglomerado financeiro do mundo.

 

O Japão iniciou a privatização de seus serviços de correio em outubro de 2007, quando o PLD estava no poder, para separar os serviços financeiros, postais, de seguros e de atendimento ao público.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.