AP Photo/Josh Reynolds
AP Photo/Josh Reynolds

Apostadora ganha sozinha R$ 2,3 bilhões na loteria nos EUA

O bilhete do segundo maior prêmio da loteria americana, uma aposta única, foi vendido em uma loja na pequena cidade de Chicopee, em Massachusetts

O Estado de S.Paulo

24 Agosto 2017 | 15h17
Atualizado 24 Agosto 2017 | 21h22

BOSTON -  A americana Mavis Wanczyk, de 53 anos, telefonou nesta quinta-feira para o hospital Mercy Medical Center, em Springfield (Massachusetts) para avisar que não voltaria “nunca mais” ao emprego de atendente. O corajoso telefonema, após 32 anos neste hospital, foi dado depois de ela saber que havia ganhado, sozinha, o segundo maior prêmio da história da loteria americana: R$ 2,3 bilhões (US$ 758,7 milhões). Foi a maior quantia paga a um único apostador, segundo o concurso Powerball. 

O bilhete premiado foi vendido em uma loja da pequena cidade de Chicopee, a 150 quilômetros de Boston. Os seis números da aposta de Mavis sorteados na noite de quarta-feira foram 6, 7, 16, 23 e 26 – o número final, chamado de Powerball, foi o 4.

Nesta loteria, duas vezes por semana, cinco bolas brancas são sorteadas com números de 1 a 69. Em seguida, uma bola vermelha é retirada entre números de 1 a 26 – essa é a Powerball. Para ganhar o grande prêmio é preciso acertar os seis números, em uma probabilidade de 1 em 292 milhões.

Mavis comprou três bilhetes. Dois foram gerados por computador, mas o vencedor foi o que ela decidiu marcar sozinha, com combinações de datas de aniversários. Em uma entrevista, Mavis contou que telefonar para o hospital foi sua primeira medida.

“Queria encerrar esse assunto para que todos me deixassem em paz. A primeira coisa que quero fazer é sentar e relaxar”, disse. 

Na noite do sorteio, no caminho para casa, ela comentou com um amigo bombeiro que não tinha muita esperança. Ela então leu os números em seu bilhete e descobriu que estava bilionária. O amigo a acompanhou até sua casa, alegadamente para ter certeza de que chegaria bem. 

A americana tem uma filha de 31 anos e um filho de 26. Uma funcionária do Tesouro do Estado de Massachusetts, Deb Goldberg, disse que foram oferecidos conselhos à família de novos ricos. “Muitas pessoas vão procurá-los com todo tipo de coisa”, alertou Deb, recomendando a contratação de um advogado “muito, muito bom.” 

 

Este é o segundo maior prêmio entregue pela loteria americana. Em janeiro de 2016, três apostadores de Califórnia, Flórida e Tennessee dividiram  mais de R$ 5 bilhões (US$ 1,6 bilhão). Mavis poderia receber o prêmio de R$ 2,3 bilhões em parcelas anuais nos próximos 29 anos ou em um único depósito de R$ 1,3 bilhão (US$ 336 milhões, já com impostos descontados). Apesar de a opção ser rejeitada pela maioria dos ganhadores, Mavis escolheu a parcela única.

A bolada vale mais do que alguns pequenos países como a Micronésia, que tem PIB de US$ 322 milhões, ou as Ilhas Palau, no Pacífico, com PIB de US$ 293 milhões, de acordo com o Banco Mundial. / W. POST, REUTERS, EFE e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.