Apple é criticada por autorizar aplicativo homofóbico para iPhone

Software a uma organização de raízes cristãs que considera a homossexualidade um pecado; críticos asseguram que criadores do aplicativo promovem uma mensagem de 'ódio e intolerância'

Efe,

22 de março de 2011 | 00h20

LOS ANGELES - A organização pelos direitos homossexuais Truth Wins Out lançou uma campanha contra um aplicativo para iPhone de um grupo cristão homofóbico que foi aprovado pela Apple, publicou nesta segunda-feira, 21, o site CNET.

 

Os críticos do novo software, que está disponível através do iTunes, asseguraram que os criadores do aplicativo promovem uma mensagem de "ódio e intolerância" e afirmam que a homossexualidade tem "cura" mediante um "tratamento" que implica o "poder de Jesus Cristo".

 

A Truth Wins Out iniciou um pedido no portal Change.org para exigir que a Apple cancele o dispositivo por contradizer suas normas, nas quais afirma que qualquer aplicativo que seja "difamatório, ofensivo ou que tenha como objetivo prejudicar algum grupo será rejeitado", segundo a companhia.

Até o momento, a iniciativa "Demand that Apple remove 'ex-gay' iPhone app" já tem o apoio de mais de 110 mil pessoas.

 

O software corresponde à Exodus International, uma organização de raízes cristãs que considera a homossexualidade um pecado.

 

Não é a primeira vez que a Apple enfrenta uma campanha entre defensores e detratores dos homossexuais.

 

Em 2010, a empresa terminou por anular um aplicativo de um grupo denominado Manhattan Declaration, cujos integrantes se manifestavam publicamente contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Tudo o que sabemos sobre:
Apple, iPhone, iTunes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.