AP Photo/Alex Brandon
AP Photo/Alex Brandon

Aprovação de juíza de Trump para o Supremo avança

Em votação unânime, sem participação dos democratas, Comitê Judiciário do Senado dá primeiro passo para confirmar Amy Coney Barret no cargo

Redação, O Estado de S.Paulo

22 de outubro de 2020 | 21h12

WASHINGTON - O Comitê Judiciário do Senado dos EUA deu nesta quinta-feira, 22, um primeiro passo para a confirmação da juíza conservadora Amy Coney Barret, proposta pelo presidente Donald Trump para a Suprema Corte.

A votação unânime, com todos os democratas ausentes, deixa o caminho aberto para que o plenário do Senado aprove Barret definitivamente na próxima segunda-feira, 26.

Com seu ingresso, a Suprema Corte penderá mais para a direita. A aprovação dará a Trump uma vitória importante e deve animar sua base conservadora. Grande parte dela deseja que a mais alta corte dos EUA tenha uma maioria conservadora para julgar casos polêmicos como o aborto. 

Na quarta-feira, os democratas chamaram o processo apressado de confirmação da juíza de "farsa". Argumentaram que as velhas promessas dos republicanos de não votar indicações à Suprema Corte tão perto de uma eleição presidencial foram quebradas. "Não daremos legitimidade participando do processo de indicação do comitê a poucos dias da conclusão de uma eleição que já está em andamento", disseram os democratas em um comunicado. "Meus colegas democratas do Senado e eu boicotamos a votação do comitê de indicação da Suprema Corte", acrescentou a candidata à vice-presidência, Kamala Harris. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.