Aprovada restrição da cobertura eleitoral

O governo do presidente do Equador, Rafael Correa, conseguiu aprovar ontem, após cinco horas de debate, uma medida para restringir a cobertura eleitoral da imprensa, pois a oposição não conseguiu reunir votos suficientes na Assembleia Nacional para vetar a proposta. A oposição tinha 50 votos, 13 a menos que o necessário para impedir que a restrição entre em vigor, no dia 4. O artigo proibirá a imprensa de publicar reportagens durante a campanha eleitoral que favoreçam ou prejudiquem candidatos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.