Aprovado orçamento militar dos EUA: US$ 401,3 bi

Por 95 votos a 3, o Senado norte-americano aprovou a lei que destina US$ 401,3 bilhões para gastos militares em 2004. O projeto já havia sido aprovado pela Câmara na semana passada, por 362 votos a 40, e será enviado para que o presidente George W. Bush a assine. O valor aprovado supera em US$ 1,5 bilhão o que havia sido pedido por Bush. Os salários dos militares serão elevados em 4,15% em média. A Força Aérea será autorizada a comprar 80 jatos Boeing 767 para operarem como aviões-tanques de combustível e a alugar outros 20. O Pentágono terá mais flexibilidade para contratar, demitir ou promover funcionários civis. Os militares também terão maior latitude para descumprir algumas exigências da Lei de Proteção de Espécies Ameaçadas e da Lei de Proteção de Mamíferos Marinhos. A lei que proibia o desenvolvimento e fabricação de armas nucleares de pequena potência também foi revogada. A lei aprovada hoje não prevê recursos para campanhas militares; a maior parte dos recursos para as guerras em andamento no Iraque e no Afeganistão virá da Lei de Apropriações para a Defesa, de US$ 368 bilhões, assinada por Bush em 30 de setembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.