Apuração dá vitória a Evo em Pando

Decisão confirma avanço do governo em 6 das 9 regiões, apesar de recuo nas grandes cidades

, O Estado de S.Paulo

09 de abril de 2010 | 00h00

O Movimento ao Socialismo (MAS), partido do presidente Evo Morales, saiu vitorioso em seis dos nove departamentos (Estados) bolivianos nas eleições regionais de domingo, incluindo Pando, onde a apuração foi mais acirrada e marcada por denúncias de fraude. A oposição confirmou seu domínio sobre três departamentos considerados seus redutos tradicionais, além de vencer em sete das dez cidades mais importantes do país.

O resultado consolidou o avanço governista sobre os Departamentos de Pando e Chuquisaca, que juntamente com Santa Cruz, Tarija e Beni, fazem parte da região do leste da Bolívia conhecida como Meia-Lua, bastião de resistência a Evo. As cifras, divulgadas ontem pela Corte Nacional Eleitoral (CNE), ainda estão incompletas, mas os resultados são irreversíveis.

A apuração mais complicada foi a do Departamento de Pando, onde os resultados de cinco mesas eleitorais foram contestadas, primeiro pelo candidato governista, Luis Flores, depois pelo candidato opositor, Paulo Bravo. A CNE decidiu convocar 222 eleitores de Pando a votarem novamente, mas mesmo que todos eles votem na oposição, a vitória do MAS - por 450 votos de diferença - já não pode mais ser alterada.

Protestos. Embora tenha marcado o avanço do governo sobre dois departamentos que estavam em mãos da oposição, o resultado de domingo frustrou os planos de Evo, que esperava repetir o sucesso que teve em dezembro, quando foi reeleito com 64,2% dos votos.

Militantes governistas participaram de manifestações e brigas de rua nos departamentos onde a oposição venceu. Ontem, a senadora opositora Eva Gonzales, acusou Evo de assentar eleitores governistas em departamentos opositores para influenciar nos resultados . Segundo ela, a eleição foi fraudada porque Evo controla a CNE.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.