EFE/José Jácome
EFE/José Jácome

Apuração indica 2º turno na eleição do Equador

Lenín Moreno, candidato do presidente Rafael Correa, deve disputar nova votação contra o opositor Guillermo Lasso

O Estado de S. Paulo

21 Fevereiro 2017 | 20h24

LA PAZ - O presidente do Conselho Nacional Eleitoral (CNE) do Equador, Juan Pablo Pozo, afirmou na noite desta terça-feira, 21, que havia uma “tendência marcada” indicando que a eleição presidencial no país irá a segundo turno. Com 95,22% dos votos apurados, o candidato indicado pelo presidente Rafael Correa, Lenín Moreno, tinha 39,21%, enquanto o opositor mais bem colocado, Guillermo Lasso, registrava 28,35%. A população foi às urnas no domingo.

Para vencer no primeiro turno, Moreno precisaria ultrapassar a barreira de 40% dos votos, além de manter a distância em relação ao segundo colocado acima de dez pontos porcentuais. A realização da nova votação, prevista para 2 de abril, só será anunciada oficialmente após o fim da apuração. 

Os resultados definitivos das presidenciais estarão prontos dentro de três dias devido a “inconsistências nas cédulas de votação”, afirmou Pozo.

O partido governista, o Aliança País, comemorou o fato de ter conseguido 76 cadeiras na Assembleia Nacional e a aprovação da consulta popular apresentada por Correa para proibir que funcionários públicos tenham dinheiro em paraísos fiscais. A reforma dá o prazo de um ano para que os funcionários com contas em paraísos fiscais as fechem. Passado o período de adaptação, o dinheiro será confiscado. / AFP

Mais conteúdo sobre:
Equador Rafael Correa

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.