Apuração rápida dá vitória a ex-guerrilheiro na Nicarágua

O ex-guerrilheiro marxista e candidato da Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN), Daniel Ortega, venceu as eleições presidenciais na Nicarágua no primeiro turno, segundo uma apuração rápida divulgada pelo organismo de observação eleitoral Ética e Transparência (EyT, na sigla em espanhol).Ortega, que foi presidente entre 1985 e 1990, obteve 38,49% dos votos, contra 29,52% do banqueiro e candidato liberal Eduardo Montealegre, informou nesta segunda-feira o presidente do instituto, Pablo Ayón, em entrevista coletiva.O resultado é equivalente ao apontado pelo principal tribunal eleitoral do país, o Conselho Supremo Eleitoral, responsável por anunciar o resultado oficial do pleito. Segundo o Conselho, com 7,22% do total de urnas apuradas, o candidato da FDLN aparece com 40,85% dos votos válidos. Ainda de acordo com estes dados preliminares, Montealegre, da Aliança Liberal Nicaragüense (ALN), teria obtido 32,68% dos votos. Segundo a lei eleitoral nicaragüense, para se proclamar presidente no primeiro turno, o vencedor precisa obter 40% dos votos válidos, ou 35% com uma vantagem de cinco pontos percentuais sobre o segundo candidato mais votado."A distância entre o primeiro e o segundo lugares é de 9%, com uma margem de erro de 1,5%, portanto, estes resultados, de nossa perspectiva, são finais em relação a quem venceu a eleição presidencial", afirmou o diretor do EyT Roberto Courtney.Se os resultados forem confirmados, Ortega, prestes a completar 61 anos, seria proclamado presidente da República 22 anos após ter se tornado chefe de Estado da Nicarágua, em 1984. Ortega também foi coordenador da junta de governo do FSLN em 1979, após derrubar a ditadura de Anastasio Somoza.Braço nicaragüense da Transparência Internacional, o EyT é integrado por empresários e grupos da sociedade civil. O instituto mobilizou um observador em cada um dos 11.274 centros de votação.CautelaO ex-presidente peruano Alejandro Toledo pediu aos candidatos que não "cantem vitória" antes dos resultados oficiais para não "gerar tumulto nas ruas".Milhares de sandinistas comemoraram os dados preliminares oficiais que indicam a vitória de Ortega. Montealegre, no entanto, se disse confiante em que haverá segundo turno.Alguns também se mostraram insatisfeitos com a divulgação dos dados preliminares. O Partido Liberal Constitucionalista (PLC) pediu a intervenção do secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, pois considera que a entrega de resultados parciais pelo Conselho Supremo Eleitoral visam "estabelecer uma tendência de maneira irresponsável".Neste domingo, 3.665.141 nicaragüenses foram às urnas para eleger o presidente e o vice-presidente da República, além de 90 deputados do Parlamento nacional e 20 para o Parlamento centro-americano. Ex-revolucionárioEx-guerrilheiro de orientação marxista e amigo de Hugo Chávez, Ortega uniu-se à luta armada contra a ditadura de Anastasio Somoza em 1963. Membro da Frente Sandinista de Libertação Nacional, ele participou do levante que derrubou Somoza em 1979, mas foi derrotado nas urnas em 1990 após anos de guerra civil contra rebeldes financiados pelos Estados Unidos. Caso sua vitória seja confirmada, o presidente venezuelano contará com mais um forte aliado na região - o que poderá resultar no corte da ajuda humanitária fornecida pelos Estados Unidos à Nicarágua.Com a vitória de Ortega estão em jogo milhões de dólares em potenciais investimentos internacionais. Muitos investidores aguardam para ver se Ortega manterá os compromissos com as políticas de livre comércio, como ele se comprometeu durante as eleições.Os temores derivam do primeiro mandato do ex-guerrilheiro socialista, que entre 1985 e 1990 expropriou propriedades privadas, empresas e cuja guerra contra os rebeldes pró-EUA resultou na morte de 30 mil pessoas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.