Árabe-israelense morre em ataque na fronteira com a Síria

É a primeira vez desde o início da guerra contra Bashar Assad que um cidadão de Israel é morto nas Colinas do Golan

JERUSALÉM, O Estado de S.Paulo

23 de junho de 2014 | 02h05

Um adolescente árabe-israelense de 14 anos morreu e três trabalhadores civis ficaram feridos ontem nas Colinas do Golan, próximo à fronteira com a Síria. Segundo o Exército de Israel, o caminhão que os transportava foi atingido por um artefato explosivo vindo do lado sírio. Foi a primeira morte ocorrida na região sob controle israelense desde o início da guerra civil síria em 2011.

Identificado pela imprensa de Israel como Mohamed Fahmi Krakara, o jovem trabalhava com o pai e dois colegas para o Ministério da Defesa. Nos últimos meses, em razão da guerra civil na Síria, o Exército israelense tem reforçado a cerca colocada depois da Guerra do Yom Kippur, em 1973. As vítimas trabalhavam no projeto.

"Não foi um projétil errante como em outras vezes. Foi um ataque deliberado contra um veículo civil. Não sabemos ainda se foi um morteiro, um foguete ou um projétil de tanque, mas cruzou a zona de leste a oeste e atingiu o veículo", disse o tenente-coronel Peter Lerner, porta-voz do Exército israelense. O incidente está sendo investigado pelas forças israelenses, que responderam ao ataque com fogo de artilharia contra a região da qual veio o projétil.

Estima-se que, do lado sírio, 80% da fronteira com Israel está nas mãos dos rebeldes que tentam depor o governo de Bashar Assad. O restante continua sob controle do Exército sírio. / AP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.