Árabes apoiam diálogo direto Israel-palestinos

NOVA YORK

, O Estado de S.Paulo

30 de julho de 2010 | 00h00

A Liga Árabe declarou ontem que apoia negociações diretas entre palestinos e israelenses desde que o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, concorde. A entidade também enviou uma carta ao presidente dos EUA, Barack Obama, delineando preocupações dos palestinos.

Abbas mostra-se relutante em negociar com o primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu. O líder palestino afirma que quando receber garantias sobre a aceitação das fronteiras de 1967 e o congelamento da construção de assentamentos, irá imediatamente para as negociações diretas.

Netanyahu diz estar aberto a negociações e celebrou o apoio dado pela Liga Árabe. Em comunicado, o premiê afirmou que, "por meio de negociações diretas, um acordo de paz pode ser alcançado rapidamente".

De acordo com o premiê israelense, Abbas não deveria impor precondições para negociar. Sem entrar na discussão das fronteiras, Netanyahu apenas diz que suspendeu temporariamente a construção de assentamentos na Cisjordânia. O premiê rejeita o congelamento definitivo nas expansões.

O objetivo dos EUA, agora, é convencer Abbas a sentar-se para negociar com Netanyahu.

Segundo o jornal israelense Haaretz, o presidente de Israel, Shimon Peres, da oposição, teria enviado um representante para convencer assessores de Abbas a não entrar em negociações com o premiê. As partes não confirmaram o encontro. / G.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.