Árabes criticam discurso de Bush

O discurso do presidente americano, George W. Bush, nas Nações Unidas não trouxe nada de novo e demonstrou pouca compreensão das realidades do Oriente Médio, disseram representantes do mundo árabe. "O presidente Bush e o mundo ainda são pólos opostos", escreveu Sahar Baasiri num editorial de primeira página do jornal libanês An-Nahar. "Ele falou extensivamente sobre suas grandes conquistas no Afeganistão e no Iraque - como se o povo fosse ignorante do que está ocorrendo nos dois países". O jornal Al Watan, no Catar, acusou Bush de tratar a disputa israelense-palestina com "uma mentalidade israelense extremista". Seu editorial afirma que quando Bush acusou a liderança palestina de estar se agarrando ao poder e traindo seu povo, ele transformou Israel "numa vítima". Nas ruas de Bagdá, o universitário Kamal Taha disse que não pôde ver o discurso de Bush porque a energia elétrica em seu bairro ainda não foi restaurada depois dos bombardeios americanos durante a guerra. "Bush deveria consertar os danos para que possamos ouvir e ver seus discursos", comentou. "O discurso de Bush foi ruim", considerou o ex-coronel do Exército iraquiano Anmar Mohammed, que agora está desempregado. "Ele falou sobre o Iraque estando na linha de frente do combate ao terrorismo, mas foi a guerra de Bush que trouxe terroristas para nosso país. Ele falou sobre uma vida melhor para os iraquianos, mas agora a maioria deles está desempregada".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.