Árabes elogiam Brasil por ação pró-palestinos

A decisão do Brasil de reconhecer o Estado palestino virou arma de pressão para os países árabes contra Israel. O secretário-geral da Liga Árabe, Amr Moussa, afirmou que prevê uma "onda de reconhecimentos" da Palestina depois da decisão brasileira, há uma semana.

Jamil Chade, O Estado de S.Paulo

14 de dezembro de 2010 | 00h00

Para a diplomacia árabe, a atitude do Brasil colocará mais pressão sobre Israel nas conturbadas negociações de paz. Na semana passada, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva enviou uma carta ao presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, informando que o reconhecimento seria dado e a base seria o Estado palestino com as fronteiras anteriores à Guerra dos Seis Dias, em 1967.

Assim, o Brasil somou-se a mais de cem países que reconhecem o Estado palestino. Até então, a lista tinha apenas nações africanas, árabes e asiáticas, muitas sem governos democráticos ou que mantinham distância do conflito. "A atitude do Brasil representa uma esperança", afirmou Moussa, que acredita que a decisão levará outros países a fazer o mesmo e terá um impacto direto nas negociações de paz.

As declarações foram feitas por Moussa durante a abertura de um evento em Argel para marcar os 50 anos da aprovação na ONU de uma resolução que reconhecia a descolonização como um processo legítimo. "O que o Brasil fez foi um ato de coragem. Pedimos que todos os países sigam o mesmo caminho e reconheçam a Palestina."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.