Árabes querem que Sharon promova paz

Os árabes querem que o primeiro-ministro eleito de Israel, Ariel Sharon, siga em frente com as conquistas obtidas por seu antecessor e negocie a devolução de território conquistado em guerra em troca da paz com Síria, Líbano e o povo palestino, declarou neste domingo o ministro egípcio das Relações Exteriores. No encerramento do segundo dia da reunião de chanceleres árabes, em Amã, Amr Moussa afirmou que o grupo desenvolveu "uma estratégia para seguir em frente com o processo de paz, com o desenvolvimento dos territórios palestinos e com o que está acontecendo em Israel".Ele se recusou a detalhar o projeto, mas disse que o resultado das deliberações entre os ministros servirá como base para a cúpula dos chefes de Estado dos países árabes, prevista para os dias 26 e 27 de março, na Jordânia. Neste ínterim, comentou, os Estados árabes irão "esperar para ver" qual política de paz será adotada pelo direitista Sharon, que obteve uma arrasadora vitória nas eleições israelenses da última terça-feira.Ao pedir a Sharon que sustente os avanços obtidos pelo atual primeiro-ministro israelense, Ehud Barak, Moussa declarou: "Houve esforços e progressos (em determinados assuntos) nos últimos 10 anos e não podemos voltar à estaca zero cada vez que há uma mudança de governo em Israel. Mas, se alguém propõe voltar à estaca zero, ou quase do zero, esta é a declaração de uma pessoa que não busca a paz e não considera a paz uma opção." Ainda neste domingo, em Jerusalém, Barak afirmou que seu sucessor não estará obrigado a prosseguir com as negociações com os palestinos do mesmo ponto no qual ele parou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.