Árabes temem que os EUA ataquem outros países

O secretário-geral-adjunto da Liga Árabe, Said Kamal, declarou nesta quinta-feira que, depois do Iraque, "será a vez dos outros países árabes", pouco tempo após os primeiros bombardeios americanos contra a periferia de Bagdá. "A questão que cada cidadão árabe se coloca é a seguinte: quem deu autorização a Bush para intervir nos assuntos iraquianos? Ninguém, nem sequer o povo norte-americano", disse Kamal. "Chegará o dia em que será a vez dos outros países árabes", disse, fazendo alusão às intenções expressas em várias ocasiões por dirigentes americanos de contribuir para as mudanças e para mais "democracia" na região. O secretário-geral da Liga Árabe, Amr Mussa, qualificou nesta quarta-feira de "insulto para os árabes" a política ambivalente dos EUA, que lançam uma guerra contra o Iraque ao mesmo tempo em que asseguram a proteção de Israel. Essa política provoca a "cólera" dos países árabes, declarou, acrescentando que "uma guerra no Iraque é uma ameaça à ordem internacional", que "contradiz a Carta das Nações Unidas".Veja o especial:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.