Arábia Saudita decapita guardas por tráfico de haxixe

A Arábia Saudita decapitou dois guardas de fronteira por tráfico de drogas nesta segunda-feira, segundo o ministério do interior. Moayd bin Yahya al-Waeli e Mehdi bin Hamad al-Mansour foram condenados por traficar quantidade indeterminada de haxixe, afirmou o ministério em declaração. Os dois guardas foram executados na cidade de Hail. As duas execuções aumentaram para cinco o número de pessoas decapitadas no país neste ano. As execuções sauditas são realizadas com uma espada, em público, para servir de exemplo.O reino decapitou 83 pessoas em 2005 e 35 em 2004. A Arábia Saudita segue uma interpretação estrita do Islã, na qual pessoas condenadas por assassinato, tráfico de drogas, estupro e roubo a mão armada podem ser executadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.