Arábia Saudita pede ao Iraque que aceite inspeção

O chanceler saudita, príncipe Saud al-Faisal, conclamou hoje o Iraque a permitir o retorno dos inspetores de armas da ONU antes que uma nova resolução do Conselho de Segurança abra a possibilidade de um ataque. "Permitir o retorno dos inspetores antes de uma resolução do Conselho de Segurança favorecerá o Iraque", disse al-Faisal ao jornal em árabe Al-Hayat, que é publicado em Londres. "Tememos que uma recusa do Iraque prejudique o povo iraquiano e aumente seus problemas. Nos preocupa a unidade, a estabilidade e independência do Iraque", acrescentou.Ontem, em Nova York, enviados da Liga Árabe que assistiam à Assembléia Geral da ONU conclamaram o Iraque a prestar atenção ao clamor mundial e permitir a volta dos inspetores para evitar um confronto com os EUA, que, segundo eles, levaria instabilidade a todo o Oriente Médio. Os ministros da Liga Árabe disseram que o chanceler iraquiano, Naji Sabri, lhes assegurou que o Iraque estaria disposto a admitir os inspetores, mas sob certas condições. A ONU, por sua vez, avisou que a retomada das inspeções deverá ser incondicional.O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, que acusa o líder iraquiano, Saddam Hussein, de acumular armas de destruição em massa, propôs que o Conselho de Segurança da ONU estabeleça um prazo para a retomada das inspeções e ameace com medidas militares caso o Iraque não se submeta. Bush disse também que os EUA atuarão unilateralmente caso Saddam mantenha sua atitude desafiante e a comunidade internacional não responda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.