Arafat ameaçou suicidar-se, diz revista alemã

O líder palestino Yasser Arafat ameaçou suicidar-se diante de soldados israelenses em seu quartel-general em Ramallah, Cisjordânia, segundo a revista alemã Focus, na edição que estará nas bancas na segunda-feira. A publicação semanal, citando um reservista israelense que teria presenciado o ocorrido, afirmou que Arafat ameaçou atirar contra sua cabeça quando viu que soldados de Israel se aproximavam.De acordo com a Focus, o encontro cara-a-cara com os israelenses "provavelmente teria sido um erro" das tropas de ocupação. "Aperto o gatilho se vocês se aproximarem", teria dito Arafat com a arma apontada para a têmpora. O líder declarou na semana passada que preferia virar mártir a entregar-se ao exército de Israel.Cercado por tanques desde 29 de março, no prédio em Ramallah, Arafat reuniu-se ontem com o emissário dos Estados Unidos, Antony Zinni. Ele foi a primeira autoridade a ter permissão do primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, para visitar o líder palestino. Há a expectativa de que o próximo encontro de Arafat seja com o secretário de Estado norte-americano, Colin Powell, que chega na segunda-feira ao Oriente Médio. A missão de Powell é retomar as negociações.O secretário de Gabinete palestino, Ahmed Abdel Rahman, afirmou que os palestinos só se encontrarão com Powell se ele se reunir com o líder palestino. "Arafat é o único endereço", disse Rahman.O ministro palestino do Planejamento, Nabil Shaath, afirmou hoje no Cairo que, em reunião com os ministros do Exterior dos países da Liga Árabe, foi pedido que eles não conversem com Powell enquanto ele não se encontrar com Arafat. Entretanto, alguns países rejeitaram essa proposta, informou Shaath. "Todos disseram que pedirão a Powell que se reúna com Arafat na sua qualidade de único representante do povo palestino", afirmou o ministro do Planejamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.