Arafat condena atentado e promete pôr fim a ataques

O líder palestino Yasser Arafat condenou o atentado suicida a bomba ocorrido hojenesta quinta-feira em Jerusalém, prometeu "colocar fim a tais ataques" e trabalhar pelo cessar-fogo, após de 18 meses de embate com Israel. "Condenamos essa operação militar ocorrida no oeste de Jerusalém hoje, especialmente pelo fato de ter atingido civis israelenses inocentes", disse Arafat. "Tomaremos as medidas necessárias e imediatas para colocar um fim a tais atentados". A ala militar do movemento Fatah de Arafat, o Al Aqsa Brigades, assumiu a autoria do atentado, que deixou duas pessoas mortas e outras feridas. Arafat prometeu trabalhar com o enviado dos Estados Unidos, Anthony Zinni, no fechamento de uma acordo para implementação do detalhado plano de tregua estabelecido no ano passado pelo diretor da CIA, George Tenet, assim como das recomendações de longo prazo de um comitê internacional presidido pelo ex-senador norte-americano George Mitchell. As negociações de tregua foram interrompidas após o ataque a Jerusalém. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.