Arafat decreta cessar-fogo na Palestina

O presidente da Autoridade Palestina, Yasser Arafat, acaba de ordenar a todas as forças de segurança palestinas a aplicação imediata de um cessar-fogo, após a ameaça israelense de responder com veemência ao atentado suicida de ontem na cidade de Tel Aviv. Para tanto, os órgãos de segurança palestinos terão de convencer os diferentes grupos fundamentalistas e radicais da OLP a não atentar contra objetivos e forças israelenses a partir de hoje mesmo. Em um comunicado distribuído à imprensa, a Autoridade Palestina indicou que foram ativados os contatos com todas as facções islâmicas e nacionalistas, incluindo o Hamas e a Jihad Islâmica, organizações responsáveis pela maior parte dos atentados contra alvos israelenses. As autoridades israelenses mantiveram Arafat sob uma forte pressão durante todo o dia de hoje, para que este decretasse o cessar-fogo nos territórios palestinos. Mais cedo, Israel havia suspenso seu cessar-fogo unilateral, decretado há onze dias, mas decidiu dar tempo para que Arafat tentasse controlar a situação antes de esboçar alguma resposta.Mais dois jovens que estavam internados em virtude de ferimentos causados no ataque suicida de Tel Aviv faleceram durante o dia de ontem. Com a morte de um jovem ucraniano de 20 anos que visitava parentes em Israel e de uma menina israelense de 14 anos de idade, o número de vítimas fatais do atentado sobe para 18, enquanto que cerca de cem outras pessoas ficaram feridas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.