"Arafat deve agradecer a Deus por estar vivo"

O ministro da Justiça israelense, Meir Sheetrit, acusou, nesta segunda-feira, o presidente palestino, Yasser Arafat, de dirigir "um bando de terroristas" e acrescentou que o líder palestino deveria "agradecer a Deus por estar vivo".Sheetrit, que é membro do Likud, o partido do premier israelense, Ariel Sharon, opinou que "Arafat se lamenta por estar fechado em três salas, quando deveria agradecer a Deus por estar vivo". Arafat está confinado em seu quartel-general de Ramallah na Cisjordânia."Vocês acham que os Estados Unidos encerrariam Osama bin Laden em três salas e lhe dariam de comer e beber?", perguntou Sheetrit em alusão ao homem mais procurado do planeta e acusado pelos americanos como responsável pelos atentados terroristas de 11 de setembro contra Nova York e Washington.O ministro também afirmou que seu país fará todos os esforços possíveis para "deter o terror e proteger os cidadãos". "Se o preço a pagar é a simpatía do mundo, muito obrigado, mas não se fará nada menos que isso... Todos querem garantir a segurança do povo israelense", concluiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.