Arafat diz não se preocupar com ameaça de Sharon

O presidente da Autoridade NacionalPalestina (ANP), Yasser Arafat, declarou hoje quenão está preocupado com a ameaça velada feita na véspera peloprimeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, de matá-lo. "Não me importo com isso", disse Arafat, em inglês, em seu QGem Ramallah, na Cisjordânia. "Em me importo com meu povo, comnossas crianças, nossas mulheres, nossos estudantes." Sharon disse que "não proporia a nenhuma empresa que fizesse oseguro" de Arafat, acrescentando: "Quem mata um judeu ou atacaum israelense (...) é um homem marcado". Os Estados Unidos advertiram que são contra o assassinato deArafat. A Rússia também criticou as ameaças feitas peloprimeiro-ministro israelense. Assessores de Arafat disseram estar levando a sério as ameaçasde Sharon. No mês passado, o Exército do Estado judeu assassinouo fundador e líder espiritual do grupo islâmico Hamas, xequeAhmed Yassin. A violência na região persistia hoje. Umfranco-atirador palestino matou um colono judeu e feriu suafilha de 12 anos ao disparar contra a casa na qual moravam em umassentamento judaico nos arredores de Tulkarem, na Cisjordânia.O grupo Jihad Islâmica assumiu a autoria do ataque. No Líbano, a Frente de Libertação da Palestina escolheu OmarShibli, também conhecido como Abu Ahmed Halab, para substituirMohammed Abbas, líder do grupo morto no mês passado sob custódiade forças americanas no Iraque. A informação consta de umadeclaração do grupo obtida com exclusividade pela The AssociatedPress. Um porta-voz do grupo no campo de refugiados palestinos de Einel-Hilweh, no sul do Líbano, confirmou a informação. Segundo afonte, Shibli, de 60 anos, foi escolhido durante uma reunião dogrupo em Ramallah, na Cisjordânia, dois dias atrás.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.