Arafat diz que não é prisioneiro de Israel

O presidente palestino, Yasser Arafat, que está na cidade de Ramallah, na Cisjordânia, praticamente cercado por tanques israelenses, espera participar da missa de Natal, em Belém. Em um encontro com uma delegação de pacifistas provenientes dos Estados Unidos, Canadá e Suécia - que chegou à região para demonstrar sua solidariedade ao povo palestino -, Arafat disse que não é "prisioneiro dos israelenses". "Encontro-me entre minha gente, desenvolvo meu trabalho e transito livremente; estou decidido a ir a Belém para as comemorações de Natal", acrescentou Arafat.O presidente palestino disse também que "as três cidades cristãs - Belém, Beit Jalla e Beit Sahur -, estão agora sob cerco do exército israelense, o que atrapalha os preparativos da festa".Com relação ao rechaço de grupos fundamentalistas palestinos de respeitar o cessar-fogo, Arafat disse que "todos podem dar livremente sua opinião, mas quando o governo toma uma decisão, essa deve ser respeitada por todos". Finalmente, Arafat reiterou seu apoio à paz, que, disse ele, "será em benefício de todas as crianças, tanto palestinas como israelenses".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.