Arafat expulsa 20 radicais procurados de sua fortaleza

O presidente da Autoridade Nacional Palestina, Yasser Arafat, expulsou 20 radicais procurados de sua fortaleza, numa aparente tentativa de evitar uma invasão israelense. O primeiro-ministro israelense, enquanto isso, retirou sua promessa de cumprir a decisão de um referendo interno de seu partido, o Likud, sobre seu plano de ?desligamento? dos territórios palestinos. Pesquisas mostram que a oposição ao plano vem crescendo.Arafat se mantém refugiado em seu complexo em Ramallah já há quase dois anos. Ele teme que Israel não permita seu retorno - ou venha a matá-lo - se deixar a região.Já houve cerca de 40 fugitivos procurados por Israel abrigados na fortaleza de Arafat, que os expulsou ano passado. Recentemente, porém, 26 voltaram. Há cerca de uma semana, cinco dos mais procurados foram novamente expulsos, disse uma fonte da segurança palestina. Aparentemente preocupado com novos movimentos de tropas israelenses em Ramallah, Arafat procurou os remanescentes nesta madrugada e ordenou que partissem, disse um deles, Ali Barghouti. ?Tornamo-nos fugitivos para defender Arafat e agora viramos um fardo que ele joga fora?, disse Barghouti. O único que teve permissão para ficar foi paralisado em combate.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.