Arafat indica presidente do Parlamento para o lugar de Abbas

O presidente da Autoridade Palestina,Yasser Arafat, indicou hoje Ahmed Qureia, presidente doConselho Legislativo Palestino (Parlamento) e negociador-chavedos acordos de paz de 1993, para o cargo de primeiro-ministro emsubstituição a Mahmud Abbas, que renunciou ao cargo ontem. "Aindicação de Abu Ala (como Qureia é conhecido entre ospalestinos) foi aprovada por unanimidade pelo Comitê Central daFatah (principal grupo político da Organização de Libertação daPalestina, liderado por Arafat)", anunciou Abbas Zaki, porta-vozda facção. O secretário de Estado americano, Colin Powell, disse esperarque o novo primeiro-ministro disponha de poderes suficientespara cumprir as diretrizes do mapa da estrada - plano de pazpatrocinado pelos Estados Unidos e apoiado pelas Nações Unidas,União Européia e Rússia. O primeiro-ministroisraelense, Ariel Sharon, reiterou que em nenhuma hipótesenegociará com Arafat - direta ou indiretamente. O chanceler israelense, Silvan Shalom, chegou mesmo areconsiderar a expulsão de Arafat. "É uma medida inevitáveldepois da renúncia de Abbas", ressaltou ele. Mas essa posiçãonão conta com o apoio de Powell nem da conselheira de segurançanacional da Casa Branca, Condoleeza Rice. "Arafat não se temmostrado ao longo dos anos um bom parceiro para negociar a paz,mas não concordamos com a retirada dele dali", disse Powell.Para Rice, Arafat "continua sendo um obstáculo para a paz", masfora do cenário teria maior margem de manobra para agir einfluir.Abbas, o ex-chefe de governo palestino, vinha sofrendointensa pressão de Israel e dos Estados Unidos para jogar durocom os grupos radicais e erradicá-los. Basicamente o que levouAbbas à renúncia foi a insistência de Arafat em manter ocontrole do esquema de segurança palestino. Ele era acusado defazer concessões a Israel.O novo primeiro-ministro, Ahmed Qureia, é um líder moderado - negociadorveterano dos acordos de paz de 1993 em Oslo (Noruega). Foiapontado como um dos principais articuladores daquele acordosecreto, que estabeleceu a Autoridade Palestina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.