Arafat manda prender acusados de contrabando de armas

O presidente palestino, Yasser Arafat, mandou prender neste domingo três altos funcionários da Autoridade Palestina implicados na operação de contrabando de 50 toneladas de armas descoberta no começo do mês pelo Exército de Israel. Apesar de o general Fuad Shubaki e os coronéis Fathi Razim e Adel Awadalah estarem fora dos territórios palestinos, Arafat anunciou as ordens de prisão após receber os resultados de uma investigação interna. O vice-presidente norte-americano, Dick Cheney, insistiu, em Washington, que Arafat está implicado no caso das armas. ?Temos provas de sua implicação no esforço de comprar as 50 toneladas de armas?, declarou Cheney em uma entrevista à rede de televisão ABC. Resgate de presos Uma multidão de mais de uma centena de palestinos libertou neste domingo sete ativistas de uma prisão de Belém, informaram fontes de segurança palestinas. Entre os libertados está Yahya Daamsa, membro da Fatah ? o movimento de Arafat ? e um dos 33 ativistas cuja detenção era exigida por Israel. Os outros seis libertados são membros do grupo radical Jihad Islâmica.

Agencia Estado,

27 Janeiro 2002 | 22h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.