Arafat resiste a reformas; chefe de segurança é ferido

O presidente palestino, Yasser Arafat, afastou mais uma contestação à sua autoridade ao conseguir fazer com que parlamentares evitassem aprovar uma exigência de amplas reformas e aprovassem, no lugar, uma carta de recomendações. Enquanto isso, a onda de caos que aflige os territórios palestinos fez mais uma vítima: homens armados feriram gravemente um oficial do alto escalão dos serviços de segurança na Faixa de Gaza, Tareq Abu Rajab.As duas situações estão relacionadas: Arafat sustenta-se a todo custo no poder - em meio a denúncias de corrupção e ineficácia -, usando as forças de segurança em conflito num custoso processo de dividir para governar. A intenção israelense de retirar-se de Gaza até o fim de 2005 serviu para aumentar ainda mais a temperatura na disputa por poder no populoso e empobrecido território litorâneo.Grupos armados rivais enfrentam-se em Gaza, com vistas a preencher o vácuo de poder que ficará com a retirada israelense.Tareq Abu Rajab é subcomandante dos serviços locais de espionagem. Ele foi atingido no peito e sua condição de saúde é crítica. Dois de seus guarda-costas morreram no ataque. Abu Rajab foi transferido a um hospital israelense para tratamento. Abu Rajab viajava em um comboio de dois veículos pelo norte da Faixa de Gaza quando ocorreu a emboscada, disseram testemunhas. Um dos veículos tombou no ataque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.