Arbitrariedade contra jornal sacode o Zimbábue

A polícia do Zimbábue prendeu nesta quarta-feira cerca de 100 ativistas e três jornalistas que se reuniram para protestar contra o fechamento, por ordem do governo, do único jornal independente do país, o Daily News. Os manifestantes marchavam em direção ao parlamento. A polícia do Zimbábue continuou apreendendo computadores e outros equipamentos da redação do Daily News nesta quarta-feira. O jornal foi fechado por ordem do governo na semana passada, após não ter cumprido as restritas leis de imprensa do país africano. Segundo os donos do jornal, a polícia vem apreendendo equipamentos sem ordem judicial. Ontem, dois fotógrafos que trabalham como freelancers para o Daily News foram detidos para interrogatório por terem entrado na redação depois que a polícia fechou o jornal. Desde 1999, o jornal tem dado espaço a críticos do presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, que está no poder há 23 anos. Em janeiro de 2001, as máquinas impressoras do jornal foram destruídas a bomba horas depois que o ministro da informação do país, Jonathan Moyo, disse que o jornal era ?uma ameaça à segurança nacional que tem que ser silenciada?. No Zimbábue, o estado controla os dois jornais que existem além do Daily News, e a única cadeia de televisão e rádio. A oposição ao governo de Mugabe pediu à população e aos anunciantes o boicote aos meios de comunicação do governo. O Zimbábue vive um momento de grave crise econômica, além dos distúrbios políticos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.