Arcebispo argentino acusado de abuso sexual renuncia

A renúncia do arcebispo da cidade argentina de Santa Fe, Edgardo Storni, acusado de molestar sexualmente seminaristas e jovens sacerdotes, foi recebida com alívio hoje pela igreja católica local. Storni, de 66 anos, apresentou a demissão no Vaticano, para onde viajou há várias semanas como parte de uma visita anual obrigatória à Santa Sé.A carta onde anuncia a renúncia foi lida em quase todas as igrejas da diocese de Santa Fe, capital da província de mesmo nome. Na mensagem, Storni não expressa arrependimento. "Minha renúncia de nenhuma maneira significa que reconheça culpa ou aceite acusações. Meu juiz é o Senhor", diz a carta.As denúncias contra Storni começaram em 1986. No entanto, em agosto deste ano, a publicação do livro "La Santa Madre", da jornalista Olga Wornat, denunciando episódios criminosos envolvendo o arcebispo e outros religiosos, tornou insustentável a permanência de Storni na arquidiocese.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.