Arcebispo australiano pede licença durante investigação

O arcebispo de Sydney, George Pell, anunciou que permanecerá sob licença enquanto se investigam as acusações de que ele teria cometido abuso sexual contra um menor. Pell é acusado de molestar um menino de 12 anos quando estava se preparando para o sacerdócio, na arquidiocese de Melbourne. Ignora-se o ano em que ocorreu o delito. "As acusações são falsas", defendeu-se Pell em um comunicado, no qual anunciou seu afastamento. "Tais eventos nunca ocorreram". A Igreja católica australiana indicou o ex-juiz da Corte Suprema Alec Southwell para presidir uma investigação independente do caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.