Arcebispo Desmond Tutu anuncia retirada da vida pública

Sul-africano Nobel da Paz diz que não dará mais entrevistas e pretende passar mais tempo com a família

AP e Afp, O Estado de S.Paulo

23 de julho de 2010 | 00h00

CIDADE DO CABO

O arcebispo anglicano sul-africano Desmond Tutu anunciou ontem que vai se retirar da vida pública no final do ano, quando completará 79 anos. Prêmio Nobel da Paz de 1984 por sua luta contra o apartheid, Tutu disse que "chegou a hora de diminuir o ritmo" e passar mais tempo com a família.

O ex-arcebispo da Cidade do Cabo disse que após seu aniversário, em 7 de outubro, vai limitar seu tempo no escritório e continuará trabalhando apenas uma vez por semana com o Grupo dos Sábios ? que reúne ex-dirigentes e Prêmios Nobel da Paz, como o ex-presidente dos EUA Jimmy Carter e o ex-secretário-geral da ONU Kofi Annan.

"Em vez de envelhecer em casa com minha família, lendo, escrevendo, rezando e pensando, muito do meu tempo foi gasto em aeroportos e hotéis", disse Tutu. "Chegou a hora de diminuir o ritmo, tomar chá com minha amada mulher e meus netos em vez de realizar conferências e convenções em câmpus universitários."

Nas últimas semanas, Tutu apareceu em vários eventos da Copa do Mundo. O Nobel da Paz fez um discurso muito aplaudido na abertura do mundial. A partir de agora, Tutu não atenderá mais a pedidos de entrevistas. "Como disse Madiba (Nelson Mandela) quando se retirou da vida pública (em 2001): "Não me chamem, eu lhes chamarei"", explicou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.