Arcebispo é expulso pelo Vaticano após processo por pedofilia

Józef Wesolowski havia sido destituído como embaixador do papa na República Dominicana em 2013 após serem feitas as denúncias

O Estado de S. Paulo

27 de junho de 2014 | 10h57

CIDADE DO VATICANO - O Vaticano expulsou o ex-embaixador do papa na República Dominicana Józef Wesolowski por pedofilia, informou nesta sexta-feira, 27, a Santa Sé. Segundo um comunicado do Vaticano, a Congregação para a Doutrina da Fé condenou o padre "à demissão do Estado clerical" no processo canônico concluído essa semana.

O arcebispo tem dois meses para recorrer da decisão. "Ele pode sofrer restrições de liberdade para não fugir", disse o porta-voz do Vaticano Federico Lombardi.

Até o momento, segundo o porta-voz, Wesolowski tinha liberdade de ir e vir porque esperava a Congregação para a Doutrina da Fé verificar as denúncias feitas contra ele. "Agora, tendo em vista a sentença, serão adotadas todas as medidas adequadas à gravidade do caso", acrescentou.

Wesolowski havia sido destituído do cargo de embaixador do Vaticano na República Dominicana em agosto de 2013 após ser acusado pela Procuradoria-Geral da República por pedofilia contra jovens de baixa renda. / AP

Tudo o que sabemos sobre:
VaticanoJózef WesolowskiPedofilia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.