Arcebispo pede a cristãos que se protejam de revolta muçulmana

O arcebispo católico de Abuja, John Olorunfemi Onaiyekan, acusou nesta quarta-feira o governo nigeriano de não conseguir proteger os cristãos no conflito religioso que deixou mais de 200 mortos e orientou os seguidores de sua igreja a se defenderem.Os cristãos da Nigéria estão "cansados de dar a outra face", disse o religioso. "É uma tarefa dos cristãos protegerem a si mesmos." Ele não entrou em detalhes. O governo do presidente Olusegun Obasanjo "não garantiu nossa segurança", reclamou o arcebispo. "Nós culpamos o governo porque confiamos nele para nos dar segurança. Quem mais deveríamos culpar?"Onaiyekan conversou com a imprensa durante entrevista coletiva concedida por líderes do Conselho das Igrejas Nigerianas que acusam o governo local de não ter protegido os cristãos do país durante os quatro dias de choques religiosos ocorridos na semana passada.Clérigos de outras igrejas, como a anglicana, a batista e a luterana, também criticaram a falta de iniciativa do governo quando muçulmanos se revoltaram na semana passada com um artigo de jornal segundo o qual o profeta Maomé escolheria uma esposa entre as concorrentes do concurso de beleza Miss Mundo, que deveria ocorrer em 7 de dezembro na Nigéria. Após a onda de violência que deixou mais de 200 mortos, os organizadores transferiram o concurso para Londres.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.