Áreas civis são os novos alvos de Israel na Faixa de Gaza

Fontes militares revelaram que o exército israelense adotou uma nova política de atacar residências em zonas civis onde poderia haver armas escondidas.Na ofensiva iniciada há três semanas, os soldados de Israel atacavam principalmente edifícios do governo palestino e os espaços abertos utilizados por milicianos.O Exército israelense matou nesta quinta-feira um palestino de 16 anos no centro da Faixa de Gaza, onde ontem morreram outras 10 pessoas, informaram fontes médicas palestinas. Mohammed Mahra, do campo de refugiados de Al-Maghazi, no centro da Faixa de Gaza, foi atingido por atiradores de elite israelenses, informaram fontes médicas palestinas.Com a morte de Mahra, o número de palestinos que morreram na invasão israelense do local, que começou ontem, chega a 11. Mais de 50 estão feridos, entre eles mulheres e crianças.A aviação israelense lançou milhares de panfletos sobre as localidades de Beit Hanun e Beit Lahia, ao norte da Faixa de Gaza. O texto avisa aos habitantes que, se guardarem armas em suas casas, suas vidas estarão em perigo. Pouco depois, durante o segundo dia de operação militar no acampamento de refugiados de Mughazi, centro de Gaza, aviões israelenses lançaram mísseis contra um grupo de palestinos que estavam em área aberta, matando um homem vestindo uniforme militar e ferindo cinco civis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.