Argélia: Cálculo aponta 23 reféns e 32 militantes mortos

Números preliminares indicam que 23 reféns e 32 militantes morreram no cerco de quatro dias em um campo de gás natural da Argélia, informou neste sábado o serviço de imprensa argelino. A agência citou um comunicado do Ministério do Interior do país e governos locais ao divulgar a contagem.

RENAN CARREIRA, Agência Estado

19 de janeiro de 2013 | 19h37

Segundo o relatório, 685 trabalhadores argelinos e 107 estrangeiros foram libertados durante o tenso e caótico incidente. O documento também indicou que um esconderijo de armas foi recuperado do local, incluindo metralhadoras, rifles e explosivos. O cerco, que começou na quarta-feira, chegou ao fim neste sábado, com uma ofensiva realizada por militares argelinos.

O ministro de Energia da Argélia, Youcef Yousfi, disse que a produção de gás no país não foi afetada com a crise dos reféns. A Argélia é o terceiro maior fornecedor de gás para a Europa, atrás da Rússia e Noruega. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Argéliaatentadomortos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.