Argélia divulga declaração com críticas às palavras de Bento XVI

O Governo argelino afirmou neste sábado que as manifestações do papa Bento XVI sobre a religião muçulmana são "um modo de semear o rancor e a humilhação". Em declaração divulgada neste sábado, o Ministério de Assuntos Religiosos argelino afirmou que as palavras do papa "atentam" contra o Islã.O texto também afirma que as mesquitas argelinas explicam e esclarecem os preceitos do Islã, em vez de "reagir com violência a este tipo de declarações que atentam contra o Islã". "A responsabilidade que incumbe ao papa exige que promova a aproximação entre os povos", disse um porta-voz do ministério, que questionou "como um personagem que assume uma responsabilidade de tamanha importância pode ignorar os conceitos do Islã evocados no Corão".O ministro de Assuntos Religiosos argelino, Bouabdallah Ghoulam Allah, pediu hoje ao papa que "apresente suas desculpas à nação muçulmana".Em cartas enviadas ao embaixador do Vaticano e ao Arcebispo de Argel, o ministro lamenta as declarações de Bento XVI, que "não servem à humanidade, já que ocorrem em um contexto marcado por um fragrante desconhecimento do Islã".O ministro argelino pediu que o papa "reconsidere" suas declarações, alegando que "os sábios não poderiam se permitir julgar uma religião" além de com base dos textos oficiais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.