Argentina adotará modelo brasileiro para desarmamento

A Argentina vai realizar, a partir de janeiro do próximo ano, uma campanha de desarmamento e o modelo será o mesmo adotado pelo governo brasileiro. A informação foi dada ontem pelo representante da Unesco no Brasil, Jorge Werthein, durante a entrega do Prêmio Segurança Humana criado pela Unesco e pelo Movimento Viva Rio.Segundo Werthein, embora na Argentina o número de vítimas com armas de fogo seja inferior ao registrado no Brasil, ele acredita que a adesão de mais países a campanhas deste tipo favorece o combate à violência na América Latina. "O problema da violência não está circunscrito a um só país como também é problema das drogas, que são problemas regionais e por isso têm de ser encarados como políticas regionais", afirmou.Werthein não soube informar quais serão os valores pagos pelas armas na Argentina. Além disso, em parceria do Ministério da Educação, Unesco e empresas privadas, o governo argentino lançou uma campanha de desarmamento de crianças. "As experiências brasileiras começam a ser mostradas e aceitas em outros países do mundo", concluiu.Para o representante da Unesco no Brasil, a decisão do governo federal de ampliar para junho de 2005, o prazo da campanha mostra a determinação do Executivo de enfrentar o problema. As informações são da Radiobrás.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.