Argentina agradece veto à entrada de barco britânico

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, agradeceu a recente atitude de seu congênere uruguaio, José Mujica, que impediu a entrada de uma fragata da Marinha da Grã-Bretanha no porto de Montevidéu, onde o barco se reabasteceria antes de ir para as Ilhas Malvinas (Falkland).

AE-AP, Agência Estado

22 de setembro de 2010 | 19h23

A fragata Hms Gloucester D-96 pediu às autoridades uruguaias permissão para atracar na capital uruguaia e se reabastecer de combustível e víveres, mas o governo negou o pedido. O caso ocorreu há mais de uma semana.

"Em nome de todos os argentinos, quero agradecer o gesto imenso que você teve em impedir que um navio de guerra britânico pudesse se reabastecer nos portos uruguaios", disse Cristina, em vídeo postado hoje no site da agência estatal de notícias Télam.

O governo argentino havia solicitado aos países vizinhos que não dessem apoio a navios britânicos que navegam para as Ilhas Malvinas, epicentro da guerra de 1982 entre Argentina e Grã-Bretanha. Buenos Aires tenta recuperar o arquipélago no Atlântico Sul, em poder dos britânicos desde 1833.

Tudo o que sabemos sobre:
MalvinasGrã-BretanhaArgentinaUruguai

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.