Argentina apura suposto envolvimento da Ford em "desaparecimentos"

A rede britânica BBC informa que as autoridades argentinas estão investigando acusações de que executivos da subsidiária da montadora norte-americana Ford no país estiveram envolvidos na detenção ilegal e no "desaparecimento" de trabalhadores durante o regime militar de 1976/83.O procurador público Felix Crous disse que abriu o caso depois de um ex-funcionário da Ford Argentina ter dito, em depoimento em um tribunal, que um centro secreto de detenção operado pelos militares foi instalado dentro de uma das fábricas da empresa, nos arredores de Buenos Aires. O ex-funcionário, Pedro Norberto Troiani, disse num tribunal em La Plata que ele foi um dos 25 trabalhadores que teriam sido detidos naquela fábrica nos anos 70.Em 1998, a Ford Argentina já havia sido acusada de ter colaborado com as juntas militares da ditadura, mas este é o primeiro processo aberto contra a companhia com base naquelas acusações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.