Argentina ataca pretensão do Brasil na ONU

O ministro de Relações Exteriores da Argentina, Héctor Timerman, afirmou ontem em comunicado na Itália que a reforma do Conselho de Segurança da ONU deve ter representatividade democrática, sem "novos privilegiados". Para analistas, a frase se refere à aspiração brasileira a um assento permanente. A Argentina está às voltas com uma intensa disputa comercial com o Brasil (mais informações no Caderno de Economia).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.