Argentina colabora com segurança de filhas de Bush

O governo argentino informou que a Polícia Federal está participando ativamente da segurança das filhas do presidente americano, as gêmeas Barbara e Jenna Bush, de 24 anos. O ministro do Interior, Aníbal Fernández, foi o primeiro a confirmar oficialmente que Barbara Bush foi vítima de um furto enquanto jantava num restaurante de Buenos Aires. Em entrevista coletiva, Fernández informou que Barbara "foi a um passeio num ponto turístico, deixou a bolsa no apartamento e foi roubada". Mas não esclareceu se o furto aconteceu no domingo ou na segunda-feira. "Não estávamos participando ativamente da segurança das duas", disse Fernández, antes de confirmar que o governo sabia da presença das gêmeas na Argentina. O ministro disse que as jovens "nunca fizeram da visita algo público e é preciso respeitar sua opção". Depois, acrescentou que elas "ainda não saíram" do país e que desconhece "sua agenda". Segundo fontes policiais citadas pela agência estatal "Télam", Jenna Bush desembarcou em Buenos Aires dia 6 de novembro. Sua irmã gêmea chegou no domingo, poucas horas antes de ser vítima do furto. Os investigadores estão analisando as gravações de câmeras de segurança. Até agora também não está confirmado se Barbara Bush foi atacada por um ou mais assaltantes, e se um telefone celular e um cartão de crédito teriam sido roubados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.