Argentina começa a vacinar contra aftosa

O governo argentino iniciou nesta segunda-feira o prograna de vacinação preventiva contra a aftosa. A vacinação foi determinada pelo Serviço Nacional de Sanidade e Qualidade Agroalimentar (Senasa) e pretende vacinar 13 milhões de bovinos. O diretor do Senasa, Victor Machinea, primo do ex-ministro da Economia, calcula que o processo de vacinação terá várias etapas e levará "de um a dois anos", e estará concentrado na região que engloba o norte da província de La Pampa, o sudeste de San Luis, quase toda a província de Córdoba, o noroeste de Buenos Aires e o sul de Santa Fé. Segundo Machinea, as diversas etapadas da vacinação serão realizadas até que "melhorem os índices epidemiológicos". Machinea teve cuidado em afirmar que a vacinação "é preventiva". Ele sustentou que "até que se demonstre o contrário, não se pode afirmar que existe aftosa no país". Além disso, uma série de municípios na fronteira com o Brasil, Paraguai e Bolívia passarão por uma série de restrições, por temor a que os animais destas regiões estejam em contato com o vírus da aftosa proveniente de países vizinhos. Uma das medidas será impedir o traslado de bovinos destes municípios, que foram transformados em "buffers", ou seja, regiões-tampão. Os produtores, que não poderão deslocar seus rebanhos dessas regiões, anunciaram que vão recorrer à Justiça, por considerar que a medida seria inconstitucional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.