"Argentina é centro de tráfico de drogas"

O affaire que envolve o presidente do Banco Central da Argentina, Pedro Pou, poderá ser mais grave que o escândalo do Senado argentino no ano passado, quando um grupo de senadores recebeu suborno para votar a lei trabalhista.Um grupo de deputados argentinos que enviou para os EUA as informações sobre lavagem de dinheiro "propositadamente ignorada" por Pou sustenta que a investigação revelará nomes de integrantes do atual governo e do anterior. No setor financeiro da capital, começa a existir a preocupação sobre uma escalada das investigações e de que em todo o planeta a Argentina passe a ser conhecida como um importante centro de lavagem de dinheiro.Para o ex-presidente do BC, Javier González Fraga (1989-91), isso já é fato: "a Argentina transformou-se em um país de tráfico de drogas em grande escala". Segundo ele, a abertura do sistema bancário permitiu "uma enorme quantidade de operações de lavagem".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.