Argentina e Inglaterra negociam vôos para as Malvinas

O governo argentino anunciou, hoje, que abriu negociações com a Inglaterra para ligar as Ilhas Malvinas ao território argentino, através de vôos regulares. O chanceler Rafael Bielsa informou à imprensa que ?a idéia é que haja um vôo argentino. Não precisaria ser a partir de Buenos Aires, mas uma triangulação com Comodoro Rivadavia (a 1.800 quilômetros ao sul da capital). O importante é que seja um vôo da Argentina para Puerto Argentino (capital das ilhas, que os ingleses chamam de Port Stanley)?.Atualmente, nenhum vôo de bandeira argentina chega às Malvinas depois da guerra entre Argentina e Inglaterra, em 1982, pelo território. Cerca de 1.000 homens, a maioria argentinos, morreram no conflito, que terminou com a rendição da Argentina depois de 72 dias de batalha.Os habitantes das ilhas só podem atingir o continente através de um vôo semanal da Lan Chile, com destino final em Santiago e escala em Punta Arenas.A chancelaria argentina negou-se, inúmeras vezes, a aumentar a freqüência desses vôos. Por isso, o embaixador britânico na Argentina, Robin Christopher, enviou a Bielsa uma proposta para iniciar conversações sobre a possibilidade de uma ponte aérea entre o continente e o arquipélago.Mas, para que isto se torne realidade, é preciso ultrapassar um grande obstáculo: segundo o governo britânico, os habitantes das ilhas devem avalizar o acordo, mas a Argentina nunca reconheceu seu poder de autodeterminação.?Não quero entrar na polêmica se eles querem ou não... As 3.000 pessoas que vivem nas Malvinas são súditos britânicos desde 1983?, disse Bielsa.Duas empresas aéreas argentinas, Southern Winds e Federales, já se manifestaram interesse em operar essa rota, assim que os governos cheguem a um acordo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.