Argentina e Irã devem discutir ataques de 1994, diz Cristina

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, disse nesta terça-feira que autoridades de seu país e do Irã irão se encontrar para discutir dois ataques a bomba contra alvos judeus ocorridos em 1994, atentado pelo qual o Irã foi acusado de participação pelos tribunais argentinos.

Reuters

25 de setembro de 2012 | 18h03

Cristina anunciou o encontro durante o discurso à Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas. Ela disse que as discussões acontecerão entre os ministros do Exterior paralelamente ao encontro anual dos Estados membros da ONU.

"Devo dizer que espero resultados desta reunião. Resultados na manifestação que a República Islâmica do Irã fez de querer cooperar e colaborar com o esclarecimento do atentado", disse a mandatária.

O atentado a bomba contra o centro judaico AMIA, em Buenos Aires, matou 84 pessoas em 1994. A Justiça argentina acusa as autoridades iranianas, entre elas um atual ministro, mas o Irã nega qualquer vínculo com os ataques.

(Reportagem de Brian Winter)

Tudo o que sabemos sobre:
ONUARGENTINAIRA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.